ALFABETO TEBANO ( TEBAN )


A HISTÓRIA

A origem do alfabeto é um tanto incerta, suas maiores indicações é que foi criado em Tebas (Grécia), utilizando algum método Georgiano. Sua primeira descrição e a de Johannes Trithemius (pseudônimo de Johann Heidenberg). Que foi reconhecido como Lexicógrafo, cronista, criptógrafo e ocultista. Trithemius descreveu em um glossário o ‘Alfabeto das Bruxas’, onde colocou como fonte o Mago da idade média Honorius Thebanus.

Suas obras foram divulgadas após dois anos do seu falecimento, (1.518) chamada “Polygraphia”. Com cerca de 376 alfabetos decodificados.

Em 1.533, Heinrich Cornelius Agrippa Von Nettesheim, ocultista, utilizou o alfabeto das bruxas em sua obra “Três livros de filosofia oculta” atribuindo a autoria do alfabeto ao Grimório (Heptameron) de Pietro d’Abano que também é conhecido por Petrus de Apono ou Aponensis – magista, filósofo, astrólogo e professor de medicina em Pádua (Itália). Esse já tinha sido perseguido e morto em praça pública em 1.316.

Esse é um alfabeto com uma egrégora forte, e antiga. Seja complacente ao utiliza-lo.

 



FONTE: ARMAZÉM TRÊS BRUXAS. 

Print Friendly, PDF & Email